13 may. 2013

Bibliografía


Ascânio Lopes Quatorzevoltas nasceu em Ubá - MG em 11 de maio de 1906. Filho de Antônio Lopes Quatorzevoltas e Maria Inês Quatorzevoltas. Aos cinco meses foi levado para Cataguases, onde foi criado pelos pais adotivos, o tabelião Cornélio Vieira de Freiras e Dulcelina Cruz, vindo a morrer aí em 10 de janeiro de 1929.
Era um dos integrantes do grupo Verde (1927-29), revista editada em Cataguases entre 1927/29 por Rosário Fusco, Enrique de Rezende, Francisco Inácio Peixoto, Martins Mendes e Guilhermino César, que representou uma das mais importantes vertentes do modernismo fora de São Paulo. Morreu precocemente vítima de tuberculose pulmonar. Cursava o terceiro ano da Faculdade de Direito de Belo Horizonte.
Um dos poetas mais importantes do modernismo mineiro. Sua poesia, de tom bucólico, evoca a infância, o passado, a vida rural e a mesmice da vida interiorana. Tendo vivido apenas 23 anos, deixou obra pequena, porém representativa, Poemas Cronológicos (1928).
Em 1966, o professor da UFMG Delson Gonçalves Ferreira escreveu: Ascânio Lopes – vida e poesia, um singelo estudo sobre a vida e produção poética de Ascânio, trabalho que mereceu uma nova edição - revista, ampliada e enriquecida de novas apreciações críticas – de autoria de Luiz Ruffato, com o título Ascânio Lopes – todos os possíveis caminhos, resgatando a verdadeira dimensão de um poeta precoce, considerado por muitos críticos como uma promessa do modernismo, tão cedo desaparecido.
Ascânio é o primeiro poeta de Cataguases. Por isto é importante para nós. Renovador na linguagem e na forma. Iniciou com seus amigos da Revista Verde, um contínuo e constante processo de criação literária na cidade.
José Antonio Pereira

No hay comentarios:

Publicar un comentario