3 dic. 2011

RONALDO CAGIANO de "O SOL NAS FERIDAS"

MARCHA INSONE

... existir é sangrar.
Hildeberto Barbosa Filho


...e havia uma madrugada a vencer
feito Sísifo no aclive interminável:

viver era a pedra renovada
sob os ombros que suportavam
o rigor das punições.

Contra a escuridão
desenhei atalhos de fuga,
quando se insinuava o boicote
ou a avidez da tocaia.

O caminho longo sob os litígios
de um rio imundo
já não é como a pirâmide que desafia
nem a esfinge que devora:

seu coração decifrou para mim
os códigos da batalha

no teatro insone
entre sóis hibernados

e a vida que passava sonâmbula
acordou-me antes da sinfonia dos galos.

Penetrei o vazio,
lago inerte estancando a felicidade,
para reencontrar-me nos mistérios
de um peito
aberto como asas de anjo
ou nas excreções de alguma tristeza
com seus lábios de fogo.

De: “O SOL NAS FERIDAS”, Dobra Literatura, São Paulo, 2011.

No hay comentarios:

Publicar un comentario